Grupo da Câmara dos EUA chega a acordo sobre imigração

Depois de meses de negociações, um grupo bipartidário da Câmara dos Representantes chegou a um acordo inicial sobre um projeto de lei para reformar o sistema de imigração

Washington – Depois de meses de negociações, um grupo bipartidário da Câmara dos Representantes dos EUA chegou a um acordo inicial sobre um projeto de lei para reformar o sistema de imigração do país, afirmou um membro do Partido Republicano.

“Temos um acordo inicial”, disse Mario Diaz-Balart a repórteres. “Os maiores problemas já foram solucionados”.

Um assessor do Partido Democrata confirmou que um acordo havia sido alcançado. Mas grande parte dos parlamentares democratas no grupo fez poucos comentários sobre o acordo.

Um dos democratas deixou a entender que algumas disposições não foram resolvidas. Luis Gutierrez, de Illinois, e chamou o acordo, no Twitter, de um “avanço importante” e acrescentou que “alguns detalhes ainda a devem ser resolvidos, mas estou muito contente que as coisas estejam indo para frente”.

Os oito parlamentares da Câmara revelaram poucos detalhes do plano sobre imigração e não disseram como o acordo deve ser diferente do projeto bipartidário apresentado no Senado dos EUA no mês passado.

“Haverá diferenças com o projeto do Senado”, disse Diaz-Balart. A legislação da Câmara ainda deve ser colocado em um formato final e os legisladores pretendem debruçar sobre o projeto linha por linha antes de apresentá-lo, disse ele.

O acordo anunciado foi alcançado em uma reunião nesta quinta-feira com seis dos oito parlamentares da Câmara presentes. Além disso, um dos membros acompanhou as discussões por telefone.


O oitavo membro do grupo, o republicano Sam Johnson, do Texas, estava no hospital se recuperando de uma cirurgia de hérnia, mas seu chefe de gabinete estava presente, disse Diaz-Balart.

Mais cedo, os parlamentares disseram que ainda estavam resolvendo suas divergências sobre se os 11 milhões de imigrantes ilegais que estão atualmente no país devem poder receber subsídios dos contribuintes para o custeio do seguro de saúde e quantos trabalhadores devem ser admitidos no país com vistos de trabalho.

O republicano John Carter, do Texas, disse aos repórteres antes do acordo ser anunciado que os membros de seu partido pretendem apresentar a legislação na primeira semana de junho, mesmo se seus quatro parceiros democratas na negociação não assinarem o projeto final.

Carter disse que os parlamentares da Câmara dos Representantes devem divergir do Senado sobre o número de vistos de trabalho a serem criados para trabalhadores da construção civil, apesar de não especificar quantos destes vistos o projeto da Câmara permitirá.

O projeto de lei do Senado designa 15 mil vistos por ano para os trabalhadores da construção civil no exterior. Carter alegou que o número nem sequer atende a demanda por trabalhadores da construção civil em seu estado natal, o Texas.

Os legisladores que trabalham no acordo incluem os democratas Xavier Becerra e Zoe Lofgren, da Califórnia, John Yarmuth, de Kentucky, e o republicano Raul Labrador, de Idaho. As informações são da Dow Jones.