Grupo de cassinos de Donald Trump pede concordata

Dívida da companhia chega a US$ 1,7 bilhão e já tem pagamentos em atraso

Famoso por comandar o reality show The Apprentice (O Aprendiz), um dos mais bem-sucedidos da TV americana, o magnata Donald Trump sofreu nesta terça-feira o constrangimento de assistir uma de suas organizações recorrer à concordata.

O Trump Entertainment Resorts, grupo de cassinos do qual Trump detém 28%, pediu concordata com base no capítulo 11 da lei americana de falências, que permite a reestruturação de uma empresa em amparo dos credores.

Com uma dívida de 1,7 bilhão de dólares, o grupo de cassinos não efetuou o pagamento de 53 milhões de dólares em juros em dezembro. A empresa tinha até esta terça para quitar o débito. De acordo com o jornal britânico Financial Times, não é a primeira vez que o grupo recorre ao tribunal de falências, repetindo o feito de quatro anos atrás.

O maior credor dos cassinos é o banco E.U., que está atuando como agente dos acionistas. Trump havia deixado o conselho da empresa no início do mês afirmando não concordar com as decisões “equivocadas” tomadas pelos representantes.

O Trump Entertainment Resorts possui diversas áreas de jogos em Atlantic City e em Nova Jersey, onde moradores de Nova York costumam fazer suas apostas. A cidade já sentiu os abalos da recessão global com uma queda de 7,6% nas apostas. Para Trump essa turbulência deve piorar ainda mais a situação das empresas de cassino na região.