Greta Thunberg comemora aniversário com greve climática, mas sem bolo

Quando tinha 15 anos, a jovem começou a faltar às aulas para protestar e pressionar seu governo a cortar as emissões de carbono

“Não sou o tipo de pessoa que comemora aniversários”, disse Greta Thunberg ao fazer 17 anos de idade nesta sexta-feira, marcando a ocasião com seu estilo inimitável: um protesto de sete horas diante do Parlamento sueco.

A ativista climática enfrentou o rigor do inverno de sua nativa Estocolmo para continuar a Greve Escolar das Sextas-feiras pelo Clima, campanha que se repete semanalmente e que ajudou a catapultá-la à fama internacional.

“Fico aqui de greve das 8h às 15, como sempre… depois vou para casa”, disse à Reuters Greta, que a revista Time escolheu como Pessoa do Ano de 2019. “Não terei bolo de aniversário, mas teremos um jantar.”

Os últimos 12 meses foram movimentados para Greta, que cruzou o globo de carro, trem e barco  – mas não de avião – para exigir ações contra a mudança climática.

“Foi um ano estranho e agitado, mas também ótimo, porque encontrei algo que quero fazer da vida, e o que estou fazendo está causando impacto”, disse.

Quando tinha 15 anos, Greta começou a faltar às aulas às sextas-feiras para protestar diante do Parlamento sueco para pressionar seu governo a cortar as emissões de carbono. Sua campanha desencadeou um movimento popular que se tornou mundial, inspirando milhões de pessoas a agir.