Governo espanhol convida Llosa para dirigir Cervantes

O Instituto Cervantes é a principal instituição de promoção e ensino da língua espanhola no mundo

Madri – O governo espanhol convidou o escritor Mario Vargas Llosa, Prêmio Nobel de Literatura, para assumir a direção do Instituto Cervantes, informaram nesta quarta-feira à Agência Efe fontes do Executivo de Mariano Rajoy.

O escritor peruano, que desde 1993 também possui nacionalidade espanhola, deverá substituir a atual diretora, Carmen Caffarel. No cargo desde 2007, Carmem foi nomeada pelo governo socialista de José Luis Rodríguez Zapatero.

O ministro espanhol das Relações Exteriores, José Manuel García-Margallo, anunciou na última terça-feira que já tinha decidido quem seria seu indicado para assumir a direção do instituto depois da chegada do Partido Popular ao poder.

A ocupação exata de Vargas Llosa à frente do Cervantes e sua resposta definitiva deverão ser confirmadas até o final da semana.

O Cervantes, criado em 1991, é a principal instituição de promoção e ensino da língua espanhola no mundo, além da difusão da cultura espanhola e latino-americana.

Com um orçamento de mais de US$ 128 milhões, o Cervantes mantém 77 centros nos cinco continentes, os quais apresentam inúmeras atividades, como exposições, representações de teatro, shows e ciclos de cinema em espanhol.

Vargas Llosa, de 75 anos, já faz parte do patronato do Cervantes, um órgão reitor cuja Presidência de honra é ocupada pelo rei Juan Carlos I.

Na última terça-feira, o Nobel de Literatura participou de um ato no Parlamento italiano. Segundo fontes consultadas pela Agencia Efe em Roma, Vargas Llosa chegou a comentar que estaria pensando em morar em Madri a partir de agora.

Fontes ligadas ao escritor afirmaram que Vargas Llosa está viajando para Londres e evitaram comentar sobre o convite do Governo espanhol.