Governo dos EUA confirma novo encontro entre Trump e Kim Jong-un em 2019

Na primeira reunião entre eles, em junho de 2018, o líder da Coreia do Norte se comprometeu a desnuclearizar o país

Singapura – O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, confirmou nesta quinta-feira em Singapura uma segunda cúpula no próximo ano entre o presidente americano, Donald Trump, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, apesar das últimas informações de que Pyongyang tem bases secretas de mísseis.

“Acreditamos que a cúpula provavelmente será realizada no próximo ano, mas quando e onde ocorrerá ainda tem que ser decidido”, declarou Pence em entrevista à imprensa depois de se reunir com o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in.

A primeira cúpula de Trump com Kim aconteceu em 12 de junho de 2018 em Singapura e nela o líder norte-coreano se comprometeu a desnuclearizar o país, enquanto o governante americano lhe ofereceu garantias de segurança.

O próprio Tump disse na semana passada que a reunião com Kim será “no início do próximo ano” e se mostrou muito “contente” de como avançam as conversas com Pyongyang.

Pence explicou hoje que Trump está “determinado” a manter as sanções e a máxima pressão sobre o regime norte-coreano para evitar “erros do passado”, como quando a Coreia do Norte fazia promessas, suspendiam-se as sanções e depois Pyongyang não respeitava o estipulado.

Além disso, o vice-presidente americano reconheceu que “a China está fazendo mais esforços do que nunca” e acrescentou que Trump abordará o assunto com o presidente Xi Jinping quando ambos estiverem juntos em Buenos Aires no final de novembro, durante a reunião do G20.

Pence qualificou como “importante” a reunião de hoje com Moon, na qual ambos ratificaram a meta de conseguir a desnuclearização completa e verificada da Coreia do Norte e, neste sentido, a necessidade de manter uma estreita coordenação entre Washington e Seul.

A reunião de Pence com Moon aconteceu às margens cúpula de governantes da Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN) que termina hoje em Singapura após três dias de conversas.