Governo do Rio de Janeiro faz projeto sustentável para o Maracanã

A possibilidade de implantar placas fotovoltaicas na estrutura do estádio para captar luz solar e abastecer o estádio está sendo discutida

São Paulo – Depois do estádio Pituaçu, na Bahia, o governo do Estado do Rio de Janeiro informa que um projeto sustentável para o Maracanã está em andamento. A ideia é fazer reuso de água da chuva e gerar autossuficiência energética.

O projeto será implantado especialmente para a Copa do Mundo de 2014. De acordo com a secretária de Esportes do Rio, Márcia Lins, no momento está em avaliação a possibilidade de implantar placas fotovoltaicas na estrutura do estádio e assim captar luz solar para abastecer o estádio.

“Os valores estão em estudo, mas estamos buscando parceiros para viabilizá-lo. Queremos um Maracanã padrão ISO e cada vez mais high tech”, disse a secretária à Reuters. Para financiar as placas fotovoltaicas, Márcia está tentando negociar com uma empresa alemã, voltada para o desenvolvimento sustentável, e com uma concessionária de energia do Rio de Janeiro.

Há ainda uma possibilidade de o plano ser implantado em todo o complexo do Maracanã. Isto inclui o ginásio poliesportivo Maracanazinho, o estádio de atletismo Célio de Barros e o parque aquático Julio Delamare. De acordo com a secretária, com tal ampliação, o estádio geraria energia extra, pois só o estádio principal teria a capacidade de abastecer uma cidade com 42 mil casas.

Já é previsto para o novo projeto do Maracanã a reutilização de água da chuva, que será usada na limpeza, a captação dessa água e o emprego em torneiras, descargas e bica do estádio, e ainda a reutilização do ferro e do aço do Maracanã original em estruturas secundárias.

A fase de demolição já terminou e a instalação de uma nova cobertura começa a ser feita no primeiro trimestre do ano que vem. A previsão é que as reformas do estádio sejam concluídas em 2013.