Governo de Mianmar diz que autorizou prisão de dois jornalistas

Jornalistas Wa Lone e Kyaw Soe Oo foram detidos no dia 12, acusados de violar a legislação por obter "documentos secretos importantes" de dois policiais

Bangcoc – Um porta-voz da presidência de Mianmar afirmou nesta segunda-feira que o presidente Htin Kyaw autorizou a prisão na semana passada de dois repórteres da agência de notícias Reuters por suposta violação de segredos de Estado.

Os jornalistas, Wa Lone e Kyaw Soe Oo, foram detidos no dia 12, acusados de violar a legislação que prevê pena de até 14 anos de prisão por obter “documentos secretos importantes” de dois policiais.

Os policiais trabalhavam no Estado de Rakhine, onde abusos atribuídos em grande medida aos militares levaram mais de 630 mil muçulmanos rohingya a fugir para o vizinho Bangladesh. O porta-voz presidencial disse que o caso será conduzido conforme o previsto na lei.

Htin Kyaw foi escolhido presidente pela líder de facto do país, Aung San Suu Kyi, um aliado próximo dela. Suu Kyi não pode ser eleita presidente, pelas regras da Constituição local.

Grupos de defesa do jornalismo questionam qual é o paradeiro da dupla detida. Os familiares dos jornalistas não tiveram autorização para vê-los, até agora.