Governo da Itália pressiona Senado por plano fiscal

Governo planeja economizar 45 bilhões de euros até 2014 com as medidas fiscais contidas em seu pacote de austeridade

Roma – O governo da Itália convocou um voto de confiança no Senado sobre o plano de austeridade, com a intenção de acelerar o processo de aprovação do programa e pavimentar o caminho para uma votação final na Câmara Baixa do Parlamento até amanhã.

A Itália espera que uma rápida aprovação do plano ainda nesta semana seja suficiente para reduzir as crescentes preocupações nos mercados financeiros com a solvência do país. A coalizão de governo do primeiro-ministro Silvio Berlusconi tem votos suficientes para aprovar a legislação no Senado, mas apenas uma pequena maioria na Câmara.

A oposição tem afirmado que pretende votar contra o projeto de orçamento no Parlamento, mas prometeu não obstruir a passagem do plano com propostas de emendas, em um esforço bipartidário para uma rápida aprovação.

O governo italiano espera economizar 45 bilhões de euros até 2014 com as medidas fiscais contidas em seu pacote de austeridade, segundo o jornal italiano Il Sole 24 Ore. Quando fez o anúncio do plano, o governo informou que pretendia reduzir seus gastos em 40 bilhões de euros até 2014.

Após emendas no orçamento terem sido aprovadas ontem, as medidas incluem um imposto entre 5% e 10% sobre pensões acima de certos limites e um taxa de 10 euros sobre consultas médicas com especialistas, de acordo com o jornal.

As medidas de austeridade do governo italiano pretendem equilibrar o orçamento do país até 2014. Os yields (retornos ao investidor) dos bônus da Itália dispararam e as ações de bancos italianos despencaram nesta semana em meio aos receios de que a crise de dívida da zona do euro atinja o país. As informações são da Dow Jones.