Governo britânico poderá impedir retorno de jihadistas

Ministra britânica apresentou projeto que impedirá temporariamente o retorno ao país de supostos jihadistas

Londres – A ministra do Interior britânico, Theresa May, apresentou nesta quarta-feira na câmara dos Comuns um novo projeto de lei que impedirá temporariamente o retorno ao Reino Unido de supostos jihadistas e concederá mais poder para a polícia prendê-los.

May disse que é “essencial” combater “as graves ameaças” que o país enfrenta.

O projeto de lei de segurança e contra o terrorismo concede poderes para a polícia confiscar passaportes de cidadãos suspeitos em pontos na fronteira, com o objetivo de impedir que mais britânicos saiam do país para combater em países como Iraque e Síria ao lado do Estado Islâmico (EI).

Além disso, a ministra terá permissão para emitir ordens temporárias de exclusão, por um prazo máximo de dois anos, que impedirão o retorno ao Reino Unido de britânicos suspeitos de terem participado de grupos jihadistas ou de atividades terroristas no exterior.

Este poder, no entanto, foi questionado pelo próprio assessor do governo sobre terrorismo, o advogado David Anderson, que colocou em dúvida a aplicação da lei, ressaltando a necessidade dos “tribunais atuarem no processo”.

A lei obrigará as companhias aéreas e empresas de comunicações a fornecer informação de suspeitos e as escolas, universidades, prefeituras e prisões a tomar medidas para impedir a radicalização dos cidadãos.

O projeto de lei será debatido amanhã no parlamento. Recentemente, o governo britânico elevou de “substancial” para “severo” o nível de alerta terrorista no país pelo crescente número de britânicos que viajam ao Oriente Médio para combater ao lado de milícias islamitas.