Governador de Nova York quer proibir uso de sacolas de plástico

Investida segue tendência mundial de combate à poluição do meio ambiente por resíduos plásticos

Nova York – O governador do estado de Nova York, Andrew M. Cuomo, anunciou que lançará um programa para proibir as sacolas de plástico como medida para melhorar o meio ambiente.

“Esta proibição ajudará a reduzir as emissões de gases associadas com a produção das sacolas de plástico”, afirmou o líder da cidade um comunicado.

Cuomo, que disse que esta iniciativa estará incluída nos orçamentos de 2019, não esclareceu, no entanto, quantos fundos serão destinados para a mesma e nem ofereceu mais detalhes sobre o plano, mas disse que será acompanhado da distribuição de sacolas reutilizáveis e que incluirá isenções.

“Os nova-iorquinos utilizam milhões de sacolas de plástico por ano, que não são biodegradáveis, o que gera quantidades maciças de lixo nos bairros e nas vias fluviais e representam uma ameaça para a saúde dos nova-iorquinos e para o meio ambiente”, ressaltou a nota.

O estado de Nova York criou em março de 2017 uma equipe para estudar a situação dos plásticos não-biodegradáveis, assim como para encontrar uma solução para acabar com eles e com a poluição pelo seu uso.

Além disso, segundo a nota, o estado ampliará o tipo de garrafas de bebidas não alcoólicas pelas quais serão pagos US$ 0,05 pela devolução.

“Com a expansão da lei da garrafa, a maioria dos contêineres de bebidas não-alcoólicas poderão ser elegíveis para a devolução de cinco centavos”, afirmou o comunicado.

Como é habitual, no comunicado, Cuomo, do Partido Democrata, criticou a política do Governo Federal, controlado pelo partido Republicano, e elogiou suas próprias políticas progressistas.

“Enquanto o Governo Federal está dando marcha à ré a nossos avanços ambientais e vendendo nossas comunidades aos contaminadores e às empresas petrolíferas, em Nova York avançamos com políticas para um meio ambiente mais sólido”, disse Cuomo. EFE