Golpe na Venezuela?; Park presa…

Golpe na Venezuela?

Depois de passar um ano anulando todas as decisões do Legislativo venezuelano, o Supremo Tribunal de Justiça da Venezuela retirou poderes da Assembleia Nacional, de maioria oposicionista ao presidente Nicolás Maduro. A sentença diz que o Supremo venezuelano deve assumir o comando do Legislativo para garantir o “Estado de direito”. Há dois dias, a Justiça já havia retirado imunidade dos parlamentares e concedido poderes quase ilimitados a Nicolás Maduro. A decisão é considerada uma resposta de Maduro à Organização dos Estados Americanos (OEA), que se reuniu nesta semana para tratar da situação da Venezuela, o que foi considerado pelos líderes venezuelanos como interferência em assuntos internos.

Madurazo

Reagindo à decisão da Justiça, a oposição venezuelana acusa Maduro de dar um “golpe de Estado” — o que o líder da oposição, Henrique Capriles, batizou como “madurazo”. O presidente da Assembleia legislativa, Julio Borges, pediu às Forças Armadas que sejam “guardiãs da democracia” e disse que o exército, tradicionalmente apoiador de Maduro, não pode “seguir calado”. Brasil, México, Colômbia e Chile consideraram o caso como ruptura da democracia, e o Peru chamou de volta seu embaixador.

Trump x Caucus

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, usou seu Twitter para reclamar do Caucus, grupo de republicanos conservadores que barrou no Congresso sua lei de saúde, o American Health Care Act, na última sexta-feira 24. Para o presidente, o grupo vai “arruinar toda a agenda republicana” se não se juntarem à equipe, e Trump chegou a dizer que, nas eleições legislativas de 2018, é preciso “combatê-los” da mesma forma como se combatem os rivais democratas.

Xi vai ao resort

Trump e o presidente chinês, Xi Jinping, vão se encontrar pela primeira vez na próxima quinta-feira, quando Xi será recebido em Mar-a-Lago, resort de Trump na Flórida. A Casa Branca afirmou que os dois líderes discutirão questões globais e regionais, possivelmente incluindo as ameaças da Coreia do Norte e as disputas territoriais no Mar do Sul da China. A relação entre as duas maiores economias do mundo segue incerta, uma vez que, durante a campanha, Trump acusou a China de práticas comerciais injustas e ameaçou impor taxas a produtos do país, além de ter recebido uma ligação da presidente de Taiwan — fazendo parecer que Trump era a favor da independência da ilha em relação aos chineses.

Tillerson na Turquia

O secretário de Estado americano, Rex Tillerson, visitou a Turquia e teve uma reunião a portas fechadas com o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan. Os dois discutiram os esforços para derrotar o grupo terrorista Estado Islâmico na Síria e no Iraque. Na cidade síria de Raqqa, o apoio americano aos curdos irrita a Turquia, que os considera um grupo terrorista. Os EUA não anunciaram oficialmente, mas tudo indica que continuarão a apoiar os curdos em Raqqa. “Vou ser franco: não são decisões fáceis”, disse Tillerson.

A carta de Sturgeon

A governadora da Escócia vai enviar ao governo da premiê britânica Theresa May uma carta pedindo autorização para realizar um referendo sobre a permanência escocesa no Reino Unido. Nesta quinta-feira, Sturgeon foi fotografada escrevendo a mensagem em um sofá, numa pose parecida a uma fotografia da ex-líder britânica Margareth Thatcher. A Escócia quer que os britânicos convoquem um referendo em 2018 ou 2019, mas o governo britânico é contra. Na quarta-feira, May entregou à União Europeia uma outra carta, que oficializa o início do Brexit.

Park presa

A ex-presidente sul-coreana, Park Geun-hye, foi presa nesta manhã ao prestar depoimento, após uma corte sul-coreana aprovar um mandato preventivo contra ela. Park é acusada de abuso de poder e recebimento de propina para aprovar projetos da empresa de tecnologia Samsung — em troca, a empresa pagaria também para fundações ligadas a sua amiga, Choi Soon-sil, pivô do escândalo. Park pode ficar presa por até 20 dias.