Gisele e Castro; Espanha sem Parlamento…

Em Cuba, a vez de Gisele

Em desfile para a marca de luxo Chanel, a top model Gisele Bündchen está em Cuba. A grife ainda levou um de seus estilistas mais famosos, o alemão Karl Lagerfeld. O modelo estreante e neto de Fidel Castro, Tony Castro, também participa do evento. Depois da visita do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, do show da banda Rolling Stones e do primeiro cruzeiro em mais de 50 anos, o desfile é mais uma das mudanças que o processo de abertura está proporcionando ao país.

A van da Fiat e do Google

A montadora Fiat Chrysler e a companhia de tecnologia Alphabet, empresa-mãe do Google, anunciaram uma parceria para a construção de cerca de 100 modelos de minivan autodirigíveis. De acordo com a agência Bloomberg, a parceria faz parte da primeira fase de um projeto conjunto para criar veículos autônomos. É também a chance de o Google colocar em prática os primeiros testes de seu software. No mês passado, John Elkann, membro do conselho da montadora anglo-italiana, disse que a empresa deveria se unir às companhias de tecnologia em vez de tentar competir com elas nos carros autodirigíveis.

Pfizer sobe

A farmacêutica americana Pfizer anunciou um faturamento 20% maior no primeiro trimestre de 2016. O resultado é acima do esperado pelos analistas e aumentou as previsões do ano todo para a empresa. No relatório, a Pfizer afirmou que faturou 13 bilhões de dólares no início deste ano, ante cerca de 10 bilhões em 2015. O lucro também subiu para 3 bilhões de dólares, um aumento de 27%.

Felipe dissolve Parlamento

Após o Parlamento espanhol falhar nas negociações para a escolha de um novo primeiro-ministro, o rei Felipe VI assinou um decreto que dissolve a Casa e convoca novas eleições para o dia 26 de junho. A legislação espanhola prevê a convocação de novas eleições se passados dois meses não houver um consenso sobre o primeiro-ministro do país. É a primeira vez que o fato acontece desde a redemocratização da Espanha em 1978. Nenhum partido havia ganhado cadeiras suficientes para formar um governo, e alianças satisfatórias não foram formadas.

Fatura igual, lucra mais

A montadora alemã BMW anunciou queda de 0,3% no faturamento em seu relatório referente ao primeiro trimestre de 2016. Em compensação, os lucros subiram de 1,74 bilhão para 1,88 bilhão de euros, um aumento de 3,5%. No relatório, a empresa também afirmou que até o final de março havia vendido 557.605 veículos, um aumento de 5,9%. As ações da BMW fecharam em queda de 3,81%.

Hungria contra refugiados

O gabinete do primeiro-ministro húngaro, Viktor Orban, anunciou que planeja instituir um referendo para impor uma cota de refugiados ao país. É mais um movimento antirrefugiados tomado pelo governo, que também construiu uma cerca na fronteira com a Sérvia para impedir a entrada de muçulmanos vindos de regiões em guerra. Em setembro, a Hungria foi um dos quatro países, ao lado de República Checa, Eslováquia e Romênia, a votar “não” em reunião da União Europeia sobre a distribuição dos 120.000 refugiados que pediram asilo ao continente.