Ban Ki-Moon pede tolerância com ativistas do Greenpeace

Segundo secretário-geral da ONU, ambientalistas desempenham um papel fundamental na sociedade

Varsóvia – O secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, pediu à Rússia nesta quinta-feira que seja tolerante com os ativistas do Greenpeace detidos por um protesto contra a exploração de petróleo no Ártico, e disse que os ambientalistas desempenham um papel fundamental na sociedade.

“Eles (a Rússia) podem ter suas próprias regras e regulações internas, mas espero que tenham uma consideração favorável e compreensível nesse caso”, disse Ban à Reuters em Varsóvia, onde ocorre a cúpula climática da ONU.

Três das 30 pessoas presas durante o protesto foram liberadas sob fiança nesta quinta-feira e declararam que a ação contra a exploração de petróleo em setembro é justificável e que a resposta das autoridades, não.

“Nesse mundo a sociedade civil… tem um papel muito importante. Não são apenas os governos e a comunidade de negócios que fazem esse mundo girar. Uma parte significativa é agora compartilhada com a sociedade civil, incluindo o Greenpeace”, disse Ban.

Vinte e quatro dos 30 detidos em 18 de setembro receberam o direito à liberdade sob fiança esta semana.

A brasileira Ana Paula Maciel foi a primeira a ser solta, na quarta-feira. Ela deixou o local carregando um papel com a frase “Salvem o Ártico”.