Gbagbo pede proteção à ONU após ser capturado por Ouattara

ONU confirmou que dará proteção ao ex-líder do paós, mas esclareceu que Gbagbo está sob custódia de Outarra

Nova York – A ONU confirmou nesta segunda-feira que o presidente de fato da Costa do Marfim, Laurent Gbagbo, e sua esposa Simone estão detidos no Golf Hotel de Abidjan, sede do governo do presidente eleito, Alassane Ouattara, e pediram que as forças da organização presentes nesse país zelem por sua segurança.

“Gbagbo e sua esposa foram detidos, estão em um apartamento do Golf Hotel e pediram que as forças da ONU no país (Onuci) lhes forneça proteção dentro desse apartamento”, explicou hoje o subsecretário-geral da ONU para as operações de paz, Alain Leroy.

Leroy, que se reuniu com os membros do Conselho de Segurança para lhes informar sobre os últimos eventos na Costa do Marfim, destacou em declarações à imprensa que Gbagbo se encontra igualmente sob a custódia das forças do presidente eleito.

“Gbagbo não está em nossa custódia, mas zelamos por sua segurança respondendo a seu próprio pedido”, explicou o subsecretário da ONU, que acrescentou que agora cabe ao presidente Ouattara “decidir o que vai fazer” com seu antecessor.

O subsecretário da ONU detalhou que “os mesmos policiais da ONU que protegiam até agora o presidente Ouattara estão a cargo da segurança do ex-presidente Gbagbo dentro desse apartamento do hotel”.

Leroy evitou dar detalhes dos planos de Ouattara em relação ao futuro de Gbagbo, mas indicou que o governante eleito pode querer levá-lo perante a Justiça e tirá-lo de Abidjan.

“Se precisarem de nossa assistência, nós a daremos”, disse o subsecretário, destacando que Gbagbo se rendeu “às forças do presidente Ouattara”, e não às da Onuci nem às da operação militar francesa Licorne.