Gbagbo é detido na Costa do Marfim por forças leais a Ouattara

Segundo a imprensa francesa, líder foi capturado por tropas do presidente eleito nas últimas eleições

Paris – O presidente de fato da Costa do Marfim, Laurent Gbagbo, que se recusa a deixar o poder, foi detido nesta segunda-feira no bunker em que se escondia há vários dias pelas forças do presidente eleito, Alassane Ouattara, confirmaram fontes do Ministério da Defesa francês.

Forças da missão francesa no país e os capacetes azuis da ONU apoiaram a operação para a detenção de Gbagbo.

No entanto, Gbagbo, no poder desde 2000, foi detido pelos homens de Ouattara, disseram as fontes, que não revelaram se o presidente em fim de mandato se rendeu.

O primeiro-ministro de Ouattara, Guillaume Soro, afirmou à emissora “France 24” que as tropas francesas não entraram na residência de Gbagbo e que se limitaram a impedir que suas forças disparassem com armamento pesado contra a população.

Soro se negou a confirmar, “por motivos de segurança”, se Gbagbo tinha sido trasladado ao Hotel Golf, residência provisória de Ouattara desde as eleições nas quais se proclamou vencedor.

O primeiro-ministro também pediu aos últimos simpatizantes de Gbagbo que abandonem sua luta.

A Presidência francesa, por sua vez, afirmou que o chefe de Estado, Nicolas Sarkozy, falou por telefone com Ouattara, mas não revelou detalhes da conversa.

A detenção de Gbagbo se produz uma semana depois da ofensiva lançada pelas forças de Ouattara, apoiadas por Paris e pela ONU, para tomar a capital.

Na manhã desta segunda-feira, veículos blindados franceses apoiados por helicópteros cercaram a residência presidencial em Abidjan, onde o presidente se refugiava, e atacaram suas tropas.