Furacão Matthew causa catástrofe no Haiti; veja imagens

A passagem do furacão Matthew pelo Haiti mergulhou o país em uma nova crise humanitária. Veja imagens aéreas que mostram a destruição

São Paulo – A chegada do furacão Matthew ao Haiti, um dos países mais pobres e frágeis do mundo, deixou o país em estado de catástrofe. Ao menos 261 pessoas morreram após a sua passagem na terça-feira, mas espera-se que esse número aumente nos próximos dias.

O furacão teve sua intensidade rebaixada de 4 para 3 ao tocar o Haiti, e registrou ventos de até 185 km/h. A região sul foi a mais atingida, especialmente as cidades de Jeremie, Les Cayes, Gonave e Les Anglais, e está totalmente incomunicável do restante do país depois que uma ponte que faz a ligação com a capital Porto Príncipe caiu.

O vídeo abaixo, registrado pela organização não governamental Haitian Heatlh Foundation, mostra a extensão da devastação em Jeremie, uma pequena cidade com 30 mil pessoas que está quase que inteiramente destruída. Segundo o piloto que fez as imagens, em entrevista à rede americana ABC, apenas 1% das casas estão em pé. “Eles sobreviveram, mas vão passar fome”, disse ele.

 

Uma animação produzida com imagens de satélite pela NASA também trouxe imagens assustadoras da movimentação do furacão sobre o Haiti. Confira.

O Haiti vive momentos de turbulências políticas e realiza na próxima semana uma nova eleição geral após irregularidades registradas no pleito em 2015. Além disso, luta para se recuperar de um terremoto que atingiu o país em 2010 e que matou quase 200 mil pessoas.

Agora, no entanto, o país sofre uma nova grave crise humanitária. Ao menos 14 mil pessoas estão desabrigadas e mais de 350 mil precisam de assistência humanitária, segundo números da ONU. A expectativa é que as chuvas deixadas pelo furacão contribuam com novas enchentes e deslizamentos.

Furacão Matthew nos Estados Unidos

Após a passagem pelo Caribe, o furacão segue agora a caminho dos Estados Unidos. Embora tenha sido rebaixado no Haiti, ele recuperou a sua força e foi recolocado na categoria 4.

A expectativa é que ele chegue ao litoral da Flórida nesta quinta-feira com ventos de até 205 km/h. Cerca de 2 milhões de pessoas que vivem no litoral dos estados que estão na mira da tempestade se deslocaram para o interior do país.

Matéria atualizada às 21h50.