Furacão Dorian deixa 60% de ilha das Bahamas submersa, mostra satélite

O furacão Dorian deixou cinco mortos em Bahamas e caiu para a categoria 2, apesar de ter crescido na costa dos Estados Unidos

San Juan — A ilha de Grand Bahama, quarta maior do arquipélago das Bahamas, teve 60% da superfície submersa, devido as ressacas do mar e chuvas, provocadas pelo furacão Dorian, que nesta terça-feira perdeu força no Oceano Atlântico.

A fabricante de satélites Iceye divulgou uma foto tirada às 12h locais de ontem, que revela a magnitude do desastre climático.

A imagem foi feita pelo satélite Iceye-X2 e revela a quantidade da área de Grand Bahama que ficou embaixo da água, após a passagem do Dorian nesta segunda-feira, ainda como de categoria 5, a mais intensa na escala Saffir-Simpson.

 

 

Diferente de outros satélites de observação da Terra, o que foi utilizado para realizar as fotos utiliza um tipo de tecnologia especial, que permite a visualização através do sistema nublado provocado pelas tempestades.

Com dois satélites, a empresa Iceye avança no projeto de lançar uma rede de aparatos para oferecer a cobertura em tempo real das mudanças da superfíce terrestre. O objetivo é ter imagens atualizadas do Dorian durante as próximas 24 horas.

 

 

A população de Grand Bahama, em grande parte presa dentro das próprias casas estão pedindo ajuda diante da subida do nível do mar. De acordo com a emissora “ZNS”, as ruas da localidade estão quase todas debaixo da água.

As autoridades das Bahamas admitem que há dificuldade para o trabalho das equipes de resgate na região, onde centenas de pessoas estão desabrigadas.

 

As informações oficiais são de que o número de mortos segue em cinco, o mesmo divulgado ontem pelo primeiro-ministro, Hubert Minnis. Os dados são questionados por jornalistas, diante a exibição de muitos corpos por emissoras.

Hoje, a intensidade dos ventos do Dorian caiu para 175 km/h, equivalente à categoria 2 na escala Saffir-Simpson, embora seu tamanho tenha aumentado nas últimas horas, de acordo com informações divulgadas pelo Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês) dos Estados Unidos.