Fundo Cerberus compra 80% da Chrysler em negócio de US$ 7 bi

Tom LaSorda continuará no comando da divisão americana

A DaimlerChrysler anunciou que vai vender 80,1% da divisão Chrysler, sediada nos Estados Unidos, ao fundo de private equity Cerberus Capital Management LP. O negócio foi fechado em troca de um aporte de 7,4 bilhões de dólares prometido pelo fundo na nova holding Chrysler.

De acordo com o jornal americano The Wall Street Journal, essa é a primeira vez que uma empresa de private equity adquire participação em uma das maiores montadoras do mundo. Analistas prevêem que o Cerberus cortará custos na Chrysler e gerará sinergias ao unir o braço de serviços financeiros da montadora ao GMAC, a antiga divisão de serviços financeiros da General Motors, da qual o fundo possui 51%. De acordo com o Cerberus, 5 bilhões de dólares serão investidos nas operações industriais e 1,05 bilhão em serviços financeiros.

Com o anúncio do negócio, as ações da DaimlerChrysler subiram 5,4% pela manhã na bolsa de Frankfurt. “Estamos seguros de que encontramos a solução que criará o maior valor, tanto para a Daimler quanto para a Chrysler. Com essa transação, criamos as condições certas para um novo começo para as duas”, afirmou o presidente da DaimlerChrysler, Dieter Zetsche, em um comunicado. O acordo ainda está sujeito à aprovação da diretoria da empresa, mas já foi apoiado pelo poderoso sindicato United Auto Workers (UAW) e deve ser fechado no terceiro trimestre. “A transação com o Cerberus é do interesse dos membros do sindicato, da Chrysler e da Daimler”, disse o presidente do UAW, Ron Gettelfinger.

O presidente do grupo Chrysler, Tom LaSorda, continuará liderando a companhia. Nas últimas semanas, ele vinha reforçando a idéia de que seu foco está em recuperar a montadora, que já divulgou um plano de cortar 13 mil empregos, reduzir turnos nas fábricas e fechar uma unidade de montagem para facilitar a retomada do crescimento. “Acreditamos nos projetos de LaSorda e queremos apoiá-los”, declarou o presidente do Cerberus, Jonh Snow. Segundo Snow, “os líderes da Chrysler poderão concentrar todas as energias e esforços em conduzir o negócio”, sem ter de se preocupar com os resultados do próximo trimestre ou com os comentários de analistas. Ele ressaltou que a estratégia do Cerberus é “fundamentalmente de longo termo” e que a empresa está preparada para fazer os investimentos necessários.

Com o negócio, encerra-se a fusão entre a alemã Daimler-Benz e a americana Chrysler, efetivada em 1998. Na época, a Daimler pagou 36 bilhões de dólares pela Chrysler, que desde então tem oscilado entre bons e maus resultados. Em 2006, a americana teve prejuízo de 1,5 bilhão de dólares. Na disputa pela companhia, o Cerberus venceu a fabricante de autopeças canadense Magna International e uma aliança formada pelo Blackstone Group e a Centerbridge Capital Partners. O investidor bilionário Kirk Kerkorian havia oferecido publicamente, em abril, 4,5 bilhões de dólares pela Chrysler, mas não entrou na briga de ofertas.