Funcionários de petroleira são mortos no Sudão do Sul

Produção petroleira representa 95% da economia do Sudão do Sul, e todo ataque dirigido a instalações chave alimenta os temores sobre a estabilidade da indústria

Juba – Ao menos cinco trabalhadores sul-sudaneses foram assassinados nesta quarta-feira em um ataque lançado por homens armados contra um consórcio petroleiro, declarou um funcionário desta companhia chinesa, em meio à onda de violência que atinge a jovem nação.

“Homens armados vieram ao complexo e mataram funcionários” ao fim da quarta-feira, disse um funcionário do Greater Nile Petroleum Operating Company (GNPOC), que não quis fornecer seu nome por não estar autorizado a falar com a imprensa.

O consórcio GNPOC está liderado pelo gigante estatal chinês do petróleo CNPC.

Não se sabe se o ataque estava vinculado aos combates entre facções rivais das forças armadas que atingiram a capital Juba entre domingo e terça-feira após uma suposta tentativa de golpe de Estado contra o presidente do Sudão do Sul, Salva Kiir.

A produção petroleira representa 95% da economia do Sudão do Sul, e todo ataque dirigido a instalações chave alimenta os temores sobre a estabilidade desta indústria vital.

No entanto, os ataques de milícias e os confrontos entre pastores fortemente armados são frequentes nesta região, Estado natal do ex-vice-presidente Riek Machar, acusado por Kiir de tentar dar um golpe de Estado.

A missão de manutenção da paz das Nações Unidas disse que estava dando refúgio a civis em Bentiu, a principal localidade do estado de Unity.

Ao menos 11 pessoas morreram em outro ataque no campo petroleiro de Thar Jath, no mesmo estado