Funcionário da Cruz Vermelha morre após bombardeio

Funcionário de nacionalidade suíça morreu quando um projétil atingiu os escritórios da organização na cidade ucraniana de Donetsk

Moscou – Um funcionário da Cruz Vermelha de nacionalidade suíça morreu nesta quinta-feira quando um projétil atingiu os escritórios da organização internacional na cidade oriental ucraniana de Donetsk, segundo informaram os rebeldes pró-Rússia à agência russa “Interfax”.

“O míssel caiu no prédio no qual ficam os escritórios do Comitê Internacional da Cruz Vermelha: (…) um cidadão suíço morreu”, informou um porta-voz do Ministério da Defesa da autoproclamada república popular de Donetsk.

Segundo a fonte, o corpo do homem, identificado como Laurent Etienne, ainda está no local, para onde se dirigem os serviços locais de salvamento.

Aparentemente, Etienne, nascido em 1976, tinha o passaporte consigo quando morreu por causa do impacto de um projétil no coração de Donetsk.

Os insurgentes acusam as forças governamentais de bombardear a sede do Comitê Internacional da Cruz Vermelha e outras partes do centro de Donetsk, cidade que é seu principal reduto.

“Ainda estamos verificando o número de vítimas”, acrescentou a fonte insurgente.

Dianta da intensidade do ataque, os moradores da região se viram obrigados a se refugiar em abrigos subterrâneos, enquanto o transporte público não funcionou o dia todo.

Por enquanto, se desconhece se houve vítimas entre a população civil da cidade, onde 11 pessoas morreram na véspera, apesar da trégua que ambos os lados declararam no dia 5 de setembro e que foi selada no Memorando de Minsk duas semanas mais tarde.