Francês que forneceu armas para atentado de Paris é detido

Suspeita-se dele que foi o "fornecedor das armas com as quais o terrorista jihadista Amedy Coulibaly cometeu os atentados de Paris"

As polícias espanhola e francesa detiveram na Espanha um traficante acusado de fornecer armas ao francês Amedy Coulibaly, que em janeiro de 2015 matou uma policial e outras quatro pessoas em um supermercado de Paris, anunciaram as autoridades nesta quarta-feira.

Identificado como Antoine Denevi, de 27 anos, o homem, “um traficante de armas de nacionalidade francesa”, foi detido em uma operação conjunta na terça-feira em Málaga, no sul do país, informou o ministério do Interior espanhol em um comunicado.

O detido compareceu nesta quarta-feira em Madri ante um juiz da Audiência Nacional – principal instância penal espanhola – que ditou contra ele prisão preventiva sem possibilidade de fiança, disse uma fonte judicial.

Suspeita-se dele que foi o “fornecedor das armas com as quais o terrorista jihadista Amedy Coulibaly cometeu os atentados de Paris”, disse o ministério.

Coulibaly foi um dos três jihadistas que abalaram Paris de 7 a 9 de janeiro de 2015 com uma série de ataques que deixaram 17 mortos. Começaram no semanário satírico Charlie Hebdo e terminaram com uma tomada de reféns em um supermercado judeu da capital francesa.

Coulibaly, cúmplice dos irmãos Kouachi – que mataram 12 pessoas na redação da revista – matou no dia seguinte uma policial municipal em plena rua e, posteriormente, quatro reféns em um supermercado kosher.

Sobre Denevi, nascido na localidade francesa de Saintre Catherine, no norte da França, “pesava uma ordem europeia de detenção e entrega emitida pelas autoridades francesas”, disse o comunicado.

O homem, acusado de “tráfico de armas e pertencimento a uma organização criminosa”, negou ter vendido armas aos jihadistas e aceitou ser entregue às autoridades francesas, segundo a fonte judicial.

“Da investigação realizada na França e que agora culmina em território espanhol, foi possível determinar que o traficante de armas detido abandonou o país vizinho semanas depois dos atentados de Paris para escapar da ação policial”, explicou o ministério espanhol.

Depois “se instalou na província de Málaga, de onde continuava com suas atividades ilícitas fazendo uso de uma documentação falsa”, afirmou a mesma fonte, afirmando que “as atividades do detido estavam relacionada a indivíduos de origem sérvia, que podem ter facilitado seu acesso a armas e munições”.