França suspende entrega de navio de guerra Mistral à Rússia

Autoridades francesas, submetidas à forte pressão de Estados Unidos e Grã Bretanha, tinham se comprometido a fazer a entrega no outono

Paris – As condições para que a França autorize a entrega do primeiro navio de guerra Mistral à Rússia, em outubro, “ainda não estão reunidas”, anunciou nesta quarta-feira a presidência francesa, referindo-se à crise da Ucrânia.

“Apesar da perspectiva de um cessar-fogo que ainda deve ser confirmado e aplicado, as condições (para a entrega do navio de guerra) ainda não estão reunidas”, declarou a presidência em um comunicado.

As autoridades francesas, submetidas à forte pressão de Estados Unidos e Grã Bretanha para adiarem a entrega do navio, tinham se comprometido a fazer a entrega no outono (do hemisfério norte), como prevê o contrato.

O contrato com Moscou, que envolve dois porta-helicópteros, foi assinado em 2011 por 1,2 bilhão de euros (1,6 bilhão de dólares pelo câmbio atual). O primeiro barco deveria ser entregue em outubro, prazo que muitos consideram hoje impossível de ser cumprido, dado o agravamento da crise ucraniana.

Os Estados Unidos voltaram a denunciar nesta quarta-feira a venda de navios de guerra à Rússia por parte da França no momento em que os europeus se dispõem a reforçar suas sanções contra a Rússia, acusada de participar diretamente dos combates no leste da Ucrânia.