França promete acordo potente da UE; Geithner pressiona

O secretário do Tesouro dos Estados Unidosviaja pela Europa para exigir uma ação mais incisiva das autoridades do bloco econômico

Paris – Os líderes de Alemanha e França não deixarão a cúpula da União Europeia sem que um acordo “potente” seja alcançado sobre a crise de dívida da zona do euro, disse o governo francês nesta quarta-feira, enquanto o secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Timothy Geithner, cobrou medidas mais ousadas.

Geithner, que viaja pela Europa para exigir uma ação mais incisiva das autoridades, expressou confiança em um plano franco-alemão para reformar o tratado da UE.

“Eu tenho muita confiança no que o presidente da França e o ministro estão fazendo, trabalhando com a Alemanha para construir uma Europa mais forte”, disse Geithner a jornalistas após reunião com o ministro francês das Finanças, François Baroin.

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, e a chanceler alemã, Angela Merkel, apresentarão um plano durante a cúpula da UE, na sexta-feira, para impor penalidades mandatórias a Estados da zona do euro que excedam metas de déficit. Os líderes buscam restaurar a confiança do mercado e impedir que a crise de dívida saia do controle.

Dois dias antes da reunião, novas ideias surgiam sobre como melhorar a aptidão do bloco em combater a crise. Autoridades da UE disseram que os líderes podem decidir elevar o limite de empréstimo combinado do Fundo Europeu de Estabilização Financeira (EFSF) e de seu sucessor, o permanente Mecanismo Europeu de Estabilidade, que Alemanha e França querem introduzir um ano mais cedo, em 2012.

Detalhes das propostas franco-alemãs de reforma serão anunciados nesta quarta-feira em uma carta ao presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, que presidirá o encontro das 27 nações da UE.

“Nem Nicolas Sarkozy, nem Angela Merkel deixarão a mesa de negociação desta cúpula até que haja um acordo potente”, disse Baroin à TV Canal+, dizendo que a França está batalhando duro para manter sua nota de crédito.

“Muito depende do que acontecer na sexta-feira,… de como a resposta dada pelos chefes de Estado for recebida”, disse ele.

Geithner deve encontrar Sarkozy mais tarde nesta quarta-feira, antes de voltar a Marselha, no sul da França, para discussões com o primeiro-ministro eleito da Espanha, Mariano Rajoy.