França chega a acordo com bancos sobre dívida grega, diz Le Figaro

Parte dos recursos serão destinados a títulos de 30 anos, em vez de cinco anos, como cogitado

Paris – O Tesouro francês e os bancos do país chegaram a um acordo em uma proposta para tornar a rolagem da dívida grega mais palatável aos credores através de uma combinação de alongamento de prazos e redução dos riscos, reportou o jornal Le Figaro neste domingo.

Pelo plano, os credores reinvestiriam apenas 70 por cento dos recursos obtidos no vencimento de papéis gregos, sendo 50 por cento em títulos de 30 anos, em vez de cinco anos, afirmou o jornal em sua página na Internet.

Os outros 20 por cento que compõem o reinvestimento seriam colocados em fundos com “cupom zero” voltados para ações de alta qualidade com perspectivas de crescimento, substituindo uma garantia estatal, de acordo com o Figaro.

O ministério das Finanças da França não estava imediatamente disponível para comentários.

Os bancos alemães, que dizem ter até 20 bilhões de euros em exposição à dívida grega, pediram garantias estatais para participar de algum tipo de rolagem da dívida grega.