Fórum de Davos retira convite à Coreia do Norte após teste

A decisão de convidar a Coreia do Norte a Davos foi tomada devido "aos sinais positivos que emanavam do país"

O fórum econômico mundial (WEF), que se reúne todos os anos em Davos (Suíça), anunciou nesta quarta-feira que retirava seu convite à Coreia do Norte após os testes nucleares realizados no início de janeiro por este país.

“Não podemos manter o convite que fizemos no ano passado” para a edição 2016 do Fórum, que será realizado no fim de janeiro, declarou um porta-voz do WEF em uma declaração transmitida à AFP.

A Coreia do Norte aceitou este convite e anunciou no início do mês que o ministro das Relações Exteriores assistiria ao Fórum, pela primeira vez em 18 anos.

Mas menos de 24 horas depois a Coreia do Norte anunciou ter realizado um primeiro teste bem-sucedido de bomba de hidrogênio, gerando uma onda de reprovação internacional.

“Depois deste teste (…) informamos a Coreia do Norte que a participação em Davos estaria condicionada à existência ou à possibilidade de sanções”, disse o porta-voz.

A decisão de convidar a Coreia do Norte a Davos foi tomada devido “aos sinais positivos que emanavam do país” e porque o Fórum de Davos quer ser uma “organização imparcial e neutra dedicada ao diálogo e aos esforços de reconciliação”.

Neste ano, o 46º Fórum de Davos é realizado de 20 a 23 de janeiro nesta estação invernal suíça. Mais de 40 chefes de Estado e de governo estarão presentes, junto a 2.500 responsáveis econômicos ou sociais.

O porta-voz do WEF disse, no entanto, que “se as condições se reunirem e a Coreia do Norte agir como membro responsável e reativo da comunidade internacional, uma delegação (norte-coreana) será bem-vinda em Davos”.