Chuvas no Canadá deixam três mortos e 200 mil evacuados

Águas dos rios Bow e Elbow que confluem em Calgary, a principal cidade da província com 1,1 milhão de habitantes e capital petrolífera, alcançaram a cota máxima

Toronto – Cerca de 200 mil pessoas foram evacuadas de suas casas em Alberta (Canadá) por conta das inundações que atingem as principais cidades da província canadense e que já deixaram três mortos e pelo menos um desaparecido.

As autoridades de Alberta disseram neste sábado que as águas dos rios Bow e Elbow que confluem em Calgary, a principal cidade da província com 1,1 milhão de habitantes e capital petrolífera do país, alcançaram a cota máxima e espera-se que o nível da água baixe nas próximas horas.

Entre 75 mil e 100 mil pessoas foram evacuadas ontem de 25 bairros de Calgary. O centro da cidade, onde se concentram as sedes das principais companhias petrolíferas do Canadá e por onde, a cada dia, 375 mil passam para trabalhar, permancia deserto hoje.

No total, cerca de 200 mil pessoas tiveram que ser evacuadas de seus lares em 25 comunidades que estão em estado de emergência.

A Polícia Montada canadense também confirmou hoje que três pessoas morreram arrastadas pelas águas, embora apenas dois corpos tenham sido recuperados.

Há também outra pessoa desaparecida, embora as autoridades tenham advertido que os números podem aumentar nas próximas horas.

A atenção dos serviços de emergência se concentra agora ao sul de Calgary.


As autoridades da cidade de Medicine Hat, uma das maiores de Alberta com 61 mil habitantes, prevêem que as águas do rio South Saskatachewan, que atravessa a população, alcance o nível máximo nas próximas horas e declarou estado de emergência.

As autoridades municipais ordenaram a evacuação de aproximadamente 10 mil habitantes e prevêem que o fluxo do rio alcance 6 mil metros cúbicos por segundo, 10% a mais que nas piores inundações de sua história em 1995.

O Governo de Alberta disse que as inundações provocadas por três dias de fortes chuvas na parte oriental das Montanhas Rochosas são as piores da história da província.

Ontem o primeiro-ministro canadense, Stephen Harper, sobrevoou de helicóptero as áreas afetadas e qualificou de ‘incrível’ o dano causado pelas inundações na cidade de High River, uma das mais afetadas.

Porém, a melhora das condições meteorológicas nas últimas horas está ajudando algumas comunidades a tentar voltar à vida normal.

O Governo de Alberta disse hoje que o número de comunidades em estado de emergência tinham passado de 25 para 22.

A crise começou na quarta-feira com fortes chuvas que em alguns pontos chegou a acumular 200 milímetros de água em 24 horas, em solos que estavam saturados por vários dias de precipitações mais moderadas ou que ainda estavam congelados após o fim do inverno.

Na quinta-feira, foram registradas precipitações de 45 milímetros de água em Calgary, acima do anterior recorde de 35 milímetros atingido em 1964.