Foro analisará “contraofensiva imperial” contra governos

Evento analisará a "contraofensiva imperial" contra os governos latino-americanos de esquerda

La Paz – O Foro de São Paulo analisará a “contraofensiva imperial” contra os governos latino-americanos de esquerda em sua 20ª reunião que será realizada em La Paz na próxima semana.

O programa das sessões foi antecipado nesta sexta-feira pela secretária executiva do foro, a brasileira Mónica Valente, em entrevista coletiva em La Paz na qual também participaram o presidente da Câmara de Deputados da Bolívia, o governista Marcelo Elío, e representantes do partido do presidente Evo Morales, o Movimento ao Socialismo (MAS).

Valente explicou que o evento durará cinco dias, de 25 a 29 de agosto, apesar de a inauguração oficial estar prevista apenas para o dia 28.

Nos três dias prévios serão realizados seminários, oficinas e uma Escola de Formação Política do Foro de São Paulo, além de reuniões internas das secretarias regionais.

Na quarta-feira, em um dos seminários, será realizado um “balanço dos governos progressistas e de esquerda e da contraofensiva imperial”, segundo o programa divulgado nesta sexta-feira.

Segundo Valente, esta “tentativa de contraofensiva” contra os governos “legitimamente eleitos” foi percebida em dois episódios “muito tristes” na América Latina, em referência à cassação em 2012 do então presidente do Paraguai, Fernando Lugo, e ao golpe de Estado que derrubou em 2009 o hondurenho Manuel Zelaya.

A brasileira também mencionou as tentativas de “desestabilizar o governo” do venezuelano Nicolás Maduro, em alusão aos incidentes violentos registrados em fevereiro nesse país, que terminaram com mais de 40 mortos, centenas de feridos e instabilidade nos meses sucessivos.

“Isso também vai ser objeto de reflexão e definição de políticas e propostas”, acrescentou Valente.

Também estão previstas duas conferências magistrais a cargo do vice-presidente boliviano, Álvaro García Linera, e do chanceler deste país, David Choquehuanca.

Na sexta-feira, durante o encerramento do evento, será lida a declaração final do encontro.

Valente agradeceu ao MAS “por proporcionar este 20º encontro” do Foro de São Paulo e declarou seu respaldo a esse partido e ao governo Morales, que nas eleições de 12 de outubro buscará a reeleição para um terceiro mandato até 2020.

“Felicitamos o povo boliviano pelas grandes conquistas obtidas neste processo que esperemos que continue a partir das eleições deste ano”, comentou.

O Foro de São Paulo, que reúne uma centena de partidos de esquerda da América Latina, nasceu em 1990 na capital paulista e teve entre seus principais impulsores o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Valente lembrou que, nos primeiros anos do organismo, na América Latina havia apenas um país governado por um partido socialista, Cuba, e ressaltou que, quase 25 anos depois, já são dez as nações governadas por partidos membros do Foro de São Paulo. EFE