Força-tarefa recomenda restrições a espionagem da NSA

Painel propôs, entre outras coisas, a limitação da capacidade de armazenamento de dados telefônicos de cidadãos norte-americanos

Washington – Uma força-tarefa criada pelo governo norte-americano para avaliar as ações de espionagem da Agência de Segurança Nacional dos EUA (NSA, na sigla em inglês) recomendou a imposição de uma série de restrições às atividades do organismo.

O painel consultivo propôs, entre outras, a limitação da capacidade de armazenamento de dados telefônicos de cidadãos norte-americanos e a necessidade de autorização judicial para averiguações individuais de dados telefônicos e de navegação na internet.

Ao mesmo tempo, o painel diz que “os governos não devem usar a vigilância para o roubo de segredos industriais em busca de vantagens para suas próprias indústrias” e que “governos não devem empregar sua capacidade cibernética de ataque para alterar quantias contidas em contas financeiras ou manipular os sistemas financeiros”.

Como o painel não recomendou a suspensão total dessas atividades, não é possível determinar de que maneira as limitações reduziriam o alcance das coletas de informações. Além disso, apesar de ter ordenado a criação da força-tarefa e encomendado a análise, o presidente dos EUA, Barack Obama, não é obrigado a acatar as recomendações. Fonte: Associated Press.