FMI traça quadro otimista para a economia mundial em 2005

Apesar da alta do barril do petróleo, FMI espera que o mundo cresça 4,3% no próximo ano

O Fundo Monetário Internacional (FMI) está otimista com os rumos da economia mundial no ano que vem. Segundo a instituição, o petróleo continuará subindo em 2005, mas os reajustes não serão suficientes para comprometer seriamente o crescimento mundial. Nesta quarta-feira (29/9), o FMI informou que espera um avanço econômico de 4,3% no próximo ano, apenas 0,1 ponto percentual menor que a expectativa de 4,4% divulgada em abril.

O barril do petróleo já está alcançando cotações próximas de 50 dólares nos últimos dias, mas, para o diretor de pesquisas do FMI, Raghuram Rajan, os recentes aumentos não representam um risco imediato. O primeiro motivo é que a cotação do petróleo ainda está bem abaixo dos picos atingidos durante os choques dos anos 70 e 80 (cerca de 73 dólares em 1981).

Segundo, porque o FMI estima que cada 5 dólares de aumento no preço do petróleo reduz em 0,3% o avanço da economia mundial. O Fundo estima que, em 2005, o preço médio do barril seja de 37,25 dólares, cerca de 8 dólares acima da cotação deste ano. Isso significa que o impacto sobre o crescimento econômico será de aproximadamente 0,48%, suficiente para baixar a taxa esperada de 4,4% para 4,3%.

Já o diretor-geral do FMI, Rodrigo de Rato, destacou que o aumento do petróleo não comprometerá nem mesmo o crescimento esperado para 2004. Neste ano, a instituição projeta alta de 5% para a economia mundial a maior taxa dos últimos 30 anos. A forte expansão de países como a China, Índia e EUA contribuirão para amenizar os efeitos do óleo cru mais caro, segundo o americano The Wall Street Journal.