FMI pede plano imediato para bancos europeus

Alerta ocorre um dia antes da planejada divulgação dos resultados dos testes de estresse com instituições para saber se elas resistem aos choques financeiros

Washington – O Fundo Monetário Internacional (FMI) fez um alerta forte sobre a frágil situação dos bancos da Europa um dia antes da planejada divulgação dos resultados dos testes de estresse realizados com as instituições para saber se elas resistiriam a choques financeiros.

O FMI afirmou que os bancos europeus permanecem com fundos insuficientes e que é “decisivamente importante colocar imediatamente em prática e anunciar planos confiáveis” para lidar com os bancos que não forem aprovados nos testes. Os comentários foram feitos em um documento preparado para uma reunião de vice-ministros do G-20 (grupo das 20 maiores economias do mundo) na semana passada e divulgado hoje.

O fundo também chamou os riscos de não resolver a crise da Grécia de “graves” e disse que “um senso maior de urgência é necessário para solucionar a crise e reduzir os riscos de contágio”.

Segundo o FMI, os testes de estresse realizados pela Autoridade Bancária Europeia representam uma oportunidade importante para atualizar as avaliações de risco no sistema bancário europeu e para solucionar o caso de bancos fracos.

Apesar dos esforços para levantar capital antes dos testes de estresse, “a capitalização dos bancos na Europa permanece relativamente baixa”, especialmente em comparação com os bancos dos EUA, disse o FMI.

Além disso, o FMI alertou que os bancos da zona do euro e de outros locais estão atrasados na obtenção de financiamentos para este ano. “Isso está os tornando vulneráveis a mais apertos nas condições de financiamento, o que destaca a importância de acelerar o ritmo com o qual eles rolam os vencimentos, já que as rolagens continuam substanciais apesar da desalavancagem em andamento”, afirmou.

O FMI disse ao G-20 que o progresso no fortalecimento e no reparo do setor financeiro tem sido muito lento e que “iniciativas políticas são urgentemente necessárias para manter os sistemas financeiros resistentes a novos choques sistêmicos”. As informações são da Dow Jones.