Filipinas: mais de 1 mil estão desaparecidos por inundações

Pelo menos 674.472 pessoas foram afetadas pelas enchentes, das quais 48.980 estão há quase uma semana em 45 abrigos na ilha de Mindanao

Manila – As autoridades filipinas elevaram a 1.079 o número de pessoas desaparecidas nas inundações que atingiram o sul do país no último fim de semana, enquanto outras 1.080 pessoas morreram.

O relatório do Centro Nacional de Prevenção de Desastres divulgado na quinta-feira dava conta de apenas 53 desaparecidos, mas o número cresceu assustadoramente em um dia.

Florentino Sison, porta-voz do Escritório de Defesa Civil, explicou que os funcionários deslocados a Cagayan de Oro e Iligan, as duas cidades mais afetadas, puderam atualizar os dados nas últimas horas graças a parentes das pessoas desaparecidas.

As equipes de resgate trabalham há dias para recuperar dezenas de corpos que foram arrastados até o mar no litoral de Bohol, a mais de 100 quilômetros da região do desastre.

Pelo menos 674.472 pessoas foram afetadas pelas enchentes, das quais 48.980 estão há quase uma semana em 45 abrigos na ilha de Mindanao.

O número de feridos chegou nesta sexta-feira a 1.979, a maioria por pancadas e cortes sofridos durante a enchente, que pode provocar infecções de tétano.


As autoridades filipinas temem ainda a aparição de epidemias como disenteria, leptospirose e cólera devido às más condições de higiene e à falta de água corrente em Cagayan de Oro, a cidade mais prejudicada.

A tempestade tropical Washi atingiu o território filipino entre a madrugada de sexta-feira e a manhã de sábado e deixou um rastro de destruição em 13 províncias.

Os danos provocados pela tempestade chegam a 1,033 bilhão de pesos (US$ 23,68 milhões), principalmente em estradas, pontes, hospitais e escolas.

O presidente filipino, Benigno Aquino, declarou na terça-feira estado de calamidade nacional e anunciou a criação de um fundo especial de US$ 26,6 milhões. EFE