Filho mais velho de Pinochet será processado por fraude

Ao longo da última década, a família Pinochet se viu envolvida em várias investigações judiciais após ser descoberto em 2004 que o ditador mantinha várias contas secretas

Santiago do Chile – O filho mais velho do falecido ditador chileno Augusto Pinochet será processado na terça-feira por fraude ao emitir cheques, segundo confirmaram nesta segunda-feira à Agência Efe fontes da Procuradoria.

A abertura do processo contra Augusto Pinochet Hiriart foi solicitado em 2 de janeiro pelo procurador Marcial Pérez Torres, e será realizada na terça-feira uma audiência no Tribunal de Garantia, na cidade de La Serena, a 470 quilômetros de Santiago.

Nessa audiência, serão detalhados os motivos pelos quais Pinochet Hiriart é investiado. Segundo informaram os meios de imprensa locais, aparentemente o filho do ditador emitiu um cheque, mas quando o receptor foi cobrá-lo, não tinha dinheiro disponível em sua conta bancária.

Ao longo da última década, a família Pinochet se viu envolvida em várias investigações judiciais após ser descoberto em 2004 que o ditador mantinha várias contas secretas no Riggs Bank dos Estados Unidos e em outras entidades financeiras no exterior.

A investigação sobre a fortuna do ditador (1973-1990) estabeleceu que o valor de seu patrimônio seja maior que US$ 26 milhões, grande parte deste montante não justificada.

Ao morrer em dezembro de 2006, Pinochet era processado pelo “caso Riggs” por fraude fiscal e falsificação de passaportes e por desvios de fundos públicos.

Em 2010, Pinochet Hiriat foi inocentado do caso dos “Pinocheques”, dinheiro que o Exército usou para pagar pela aquisição de uma empresa, ao concluir que os recursos não foram parar nas contas bancárias de seu pai.

Um documento oficial do Exército do Chile publicado em 2010 pela Agência Efe revelou pela primeira vez que Augusto Pinochet Hiriart foi agente da Dina, a polícia secreta da ditadura, com o grau de tenente. EFE