FBI diz ser cedo para saber se ataque em aeroporto foi terrorismo

Segundo fontes, o suposto autor da ação no aeroporto de Michigan gritou "Alá é grande" antes de atacar o policial

Washington – O FBI informou nesta quarta-feira que é “muito cedo” para dizer se o ataque a um policial que provocou o esvaziamento e o fechamento do Aeroporto Internacional de Bishop, na cidade americana de Flint, em Michigan, foi um “ato de terrorismo“.

O órgão de investigação federal emitiu um comunicado depois que, citando fontes da Polícia, a rede de TV “NBC” garantiu que o fato, em que um agente ficou ferido, é investigado como “possível ato de terrorismo”.

Segundo essas mesmas fontes, o suposto autor da ação gritou “Alá é grande” antes de atacar o policial. O indivíduo em questão seria de Québec, no Canadá.

No comunicado, o FBI informou que o suspeito está “sendo interrogado” e que o caso é investigado “para determinar a natureza e o motivo do ataque”.

“Temos informações de que o autor da ação fez declarações imediatamente antes e durante o ataque ao agente, mas é muito cedo para determinar a natureza destas supostas declarações, ou se isto foi um ato terrorista”, destacou o FBI na nota oficial.

“Conforme as informações de que dispomos neste momento, acreditamos que isto é um incidente isolado. Atualmente, não temos dados específicos e críveis de que exista uma ameaça para a comunidade de Flint”, acrescentou o organismo.

O agente ferido, identificado como Jeff Neville, foi internado em estado grave, de acordo com a Polícia de Michigan, que depois informou que o policial tinha apresentado sinais de melhora.

O ataque ocorreu por volta das 9h45 (horário local, 10h45 em Brasília) no segundo andar do principal terminal do aeroporto, onde por ano circulam cerca de 800 mil passageiros.

Veja também