Famílias ajudam a identificar vítimas de acidente aéreo no Nepal

Parentes das vítimas do avião que caiu nesta segunda-feira viajaram até o local em um voo fretado para tentar ajudar no trabalho de identificação dos corpos

Daca – Parentes das vítimas do avião que caiu na segunda-feira, em Katmandu (Nepal), viajaram nesta terça para o Nepal em um voo fretado pela companhia aérea US-Bangla para tentar ajudar no trabalho de identificação dos corpos e estar com os feridos.

“Um de nossos voos chegou em Katmandu com 46 familiares e funcionários, estamos trabalhando agora na ida dos corpos para casa e para garantir que os sobreviventes sejam tratados por seus ferimentos”, disse à Agência Efe, Kamrul Islam, um porta-voz da US-Bangla.

Um avião Bombardier Dash 8 Q400 desta companhia aérea com 71 pessoas a bordo, 36 delas de Bangladesh, caiu ontem, em Katmandu, durante manobra de aterrissagem, e de acordo com uma hipótese, houve um erro de comunicação entre pilotos e a torre de controle.

No total, 49 pessoas faleceram, 25 delas de Bangladesh, segundo o Ministério das Relações Exteriores deste país, enquanto que as outras 22 sofreram ferimentos de diferentes considerações.

“Devemos identificar os corpos dos falecidos em primeiro lugar, através do relatório forense”, acrescentou a fonte, apontando que a empresa continuará todo o processo para a repatriamento dos corpos.

Entre os mortos há dois funcionários do Ministério de Planejamento de Bangladesh que viajavam ao Nepal para uma reunião regional.

Segundo as autoridades do aeroporto, o acidente pode ter acontecido por um problema de identificação correta da pista de aterrissagem por parte do piloto.

A US-Bangla também afirmou ontem que a conversa entre o piloto e a torre apontou informações incorretas por parte da autoridade de voo que poderiam levar ao resultado fatal.