Exército enfrenta Boko Haram em cidade importante da Nigéria

O grupo jihadista Boko Haram atacou Maiduguri, a cidade mais importante do norte da Nigéria, onde luta com o exército nigeriano desde a noite de sábado

Lagos, 25 jan  – O grupo jihadista Boko Haram atacou Maiduguri, a cidade mais importante do norte da Nigéria, onde os terroristas e o exército nigeriano mantêm duros enfrentamentos desde a noite de sábado, informaram fontes da segurança e testemunhas.

Soldados e terroristas iniciaram uma intensa troca de tiros quando centenas de homens de Boko Haram tentaram invadir a capital do estado de Borno, informa neste domingo o jornal “Premium Times”.

Em torno das 9h local (6h, em Brasília) foram ouvidos disparos e bombardeios sobre Maiduguri, enquanto a cidade era sobrevoada por um avião de combate da Força Aérea nigeriana.

A intensa batalha entre o exército e os jihadistas obrigou a imposição de um toque de recolher na capital “até novo aviso”, informou o Ministério da Defesa através de sua conta no Twitter.

As tropas estão repelindo um ataque simultâneo contra Monguno e Maiduguri, segundo os militares.

“Passamos a noite acordados porque tentaram invadir Maiduguri desde o eixo de Dalwa e Limanti, embora nossos soldados foram capazes de repelir o ataque”, informaram fontes militares ao jornal nigeriano.

Os jihadistas retrocederam então e relançaram seu ataque por outro flanco em torno de Njimtilo nesta manhã, onde se encontraram com as tropas nigerianas.

Mais tropas foram mobilizadas rumo a essa cidade, situada a cerca de 20 quilômetros de Maiduguri, onde alguns residentes dos arredores começaram a abandonar suas casas e fugir para o centro da capital .

Enquanto isso, algumas informações apontam que a cidade próxima de Monguno estaria sob o controle do grupo jihadista, segundo “The Premium Times”.

Os ataques coincidem com a visita prevista do secretário de Estado de EUA, John Kerry, que anunciou nesta semana que viajaria à Nigéria para abordar a luta contra Boko Haram e as próximas eleições de fevereiro com o presidente nigeriano e candidato à reeleição, Goodluck Jonathan.

A menos de um mês das eleições presidenciais, a Nigéria vive uma escalada de violência no norte do país, onde o Boko Haram controla amplas zonas e comete atentados e sequestros quase diariamente .

O Boko Haram luta por instaurar um estado islâmico na Nigéria e mantém uma sanguinária campanha no país, onde morreram mais de 3 mil pessoas neste ano, segundo dados do governo nigeriano.