Ex-vice do Equador condenado no caso Odebrecht faz greve de fome na prisão

Político cumpre pena de 6 anos de prisão por receber suborno da construtora

O ex-vice-presidente do Equador Jorge Glas, que cumpre pena de seis anos de prisão por receber suborno da construtora Odebrecht, iniciou nesta segunda-feira, 22, uma greve de fome, informou seu advogado, Eduardo Franco.

Glas “está em condições deploráveis e desumanas, razão pela qual se declarou em greve de fome”, afirmou Franco em sua conta no Twitter.

“Responsabilizamos as autoridades por sua segurança física e por sua vida”, escreveu Franco, que qualificou de “inconstitucional” a transferência de Glas de uma prisão de Quito para uma penitenciária na cidade andina de Latacunga (sul). Segundo ele, Glas corre risco de vida na penitenciária de Latacunga, uma das maiores do país.

O ex-vice-presidente, que foi responsável por setores estratégicos do Equador durante o governo do presidente Rafael Correa (2007-2017), teve sua transferência realizada no domingo por “razões de segurança”, segundo a secretaria de Comunicação.

Glas, que está preso há um ano, foi condenado por receber 13,5 milhões de dólares em subornos da Odebrecht.

No ano passado foi reeleito vice-presidente na chapa de Lenin Moreno, ex-aliado de Correa, mas acabou destituído do cargo devido ao caso Odebrecht.