Ex-tenista australiano é condenado à prisão por estupro

Ex-atleta foi considerado culpado por violar três garotas nas décadas de 80 e 90 na África do Sul

Pretória – O ex-tenista australiano Bob Hewitt, de 75 anos, foi condenado nesta segunda-feira a seis anos de prisão por duas acusações de estupro e uma de violação de menores.

A sentença foi definida pela corte da África do Sul, na cidade de Pretória, após o ex-atleta ser considerado culpado por violar três garotas nas décadas de 80 e 90.

De acordo com as acusações, Hewitt teria violado as jovens na época em que treinava crianças na África do Sul.

O juiz Bert Bam aceitou as acusações e condenou o ex-tenista a oito anos de cárcere, sendo que dois deles foram suspensos.

A três condenações definidas por Bam serão cumpridas simultaneamente.

Hewitt é australiano, mas se casou com uma sul-africana e vive no país já há um longo tempo.

Antes de ter a sentença definida, o ex-tenista tentou apelar para sua saúde, ao garantir que sofreu um derrame cerebral em 2010 e um ataque cardíaco em 2011, e ainda alegou que recebeu ameaças de agressão caso fosse preso.

Nada disso adiantou, e a sentença foi confirmada.

O australiano foi um dos grandes nomes do tênis de duplas, tendo conquistado troféus em todos os torneios de Grand Slam: cinco em Wimbledon (1962, 1964, 1967, 1972 e 1978) dois no Australian Open (1963 e 1964), um em Roland Garros (1972) e um no US Open (1977).

Em simples, sua melhor campanha foi na Austrália, onde alcançou a semifinal em três oportunidades.