Ex-soldado dos EUA se une à luta contra EI na Síria

Jordan Matson, de Wisconsin, uniu-se às Unidades de Proteção do Povo Curdo (YPG), que lutam principalmente contra os avanços perto da fronteira

Beirute/Chicago - Um ex-soldado norte-americano uniu-se a forças curdas na luta contra militantes do Estado Islâmico no norte da Síria, um raro caso em que um único cidadão dos <strong><a href="http://www.exame.com.br/topicos/estados-unidos">EUA </a></strong>buscou combater extremistas na <strong><a href="http://www.exame.com.br/topicos/siria">Síria</a></strong>. </p>

Jordan Matson, de Wisconsin, uniu-se às Unidades de Proteção do Povo Curdo (YPG), que lutam principalmente contra os avanços de militantes do Estado Islâmico perto da fronteira da Síria com a Turquia e o Iraque, disse um porta-voz do grupo curdo na quinta-feira.

O porta-voz, Redur Xelil, confirmou a presença de Matson com o grupo em uma nota online e disse: “Ele está lutando na área de Jazaa”. Essa área fica no nordeste da Síria e tem passando por pesados combates entre o YPG e rebeldes do Estado Islâmico.

A mãe de Matson, por meio de um amigo na cidade natal de Sturtevant, Estado de Wisconsin, disse que não queria comentar o assunto. Segundo o Exército dos EUA, Jordan Matson, de Sturtevant, foi soldado de maio de 2006 a novembro de 2007.

Autoridades dos EUA disseram que cerca de 100 norte-americanos foram para a Síria para se juntar a grupos que lutam contra o presidente sírio, Bashar al-Assad. Esses grupos incluem o extremista Estado Islâmico, assim como forças rebeldes apoiadas pelos EUA e a Frente Nusra, grupo ligado à al Qaeda.