Ex-modelo diz que se relacionou com Donald Trump

A relação teria durado nove meses e o tablóide "National Times", que pagou US$ 150 mil pela história, optou por não publicá-la

Nova York – Uma ex-modelo da Playboy afirma que em 2006 manteve uma relação de vários meses com o agora presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, segundo uma informação publicada nesta sexta-feira pela revista “The New Yorker”.

O artigo descreve os regras do magnata nova-iorquino para manter suas supostas infidelidades ocultas e como um meio relacionado a Trump silenciou pouco antes das eleições esta história após ter comprado a exclusiva do relato.

A “The New Yorker”, no entanto, teve acesso a um documento manuscrito que ela mesma redigiu detalhando a relação e cuja autenticidade foi confirmada pela própria modelo, Karen McDougal.

Segundo McDougal, ela e Trump se conheceram em uma festa na Mansão Playboy em junho de 2006 e, após manter contato regular por telefone durante um tempo, se encontraram em um hotel de Los Angeles.

A ex-modelo assegura que nesse primeiro encontro, tiveram relações sexuais e que o magnata nova-iorquino tentou dar dinheiro, algo que ela rejeitou.

A relação continuou por nove meses, durante os quais se viram em Los Angeles e em outras cidades, até que ela colocou fim à relação.

Naquela época, Trump já estava casado com sua atual esposa, Melania, e seu filho mais novo, Barron, tinha apenas alguns meses de idade.

Segundo McDougal, o agora líder – que naquela época tinha um programa de televisão – a reembolsou em várias ocasiões despesas de viagens, mas sempre assegurando que não restassem provas.

“Não há rastros de papel com ele”, escreveu a ex-modelo no documento publicado pela “The New Yorker”.

Em 2016, durante a campanha eleitoral que terminou com a vitória do candidato republicano, McDougal entrou em contato com agentes para tentar vender sua história.

Os direitos foram finalmente adquiridos pelo tablóide “National Times”, que pagou US$ 150 mil e que optou por não publicar a história.

Segundo vários ex-funcionários citados pela “The New Yorker”, o principal responsável da publicação, David Pecker, é um “amigo pessoal” de Trump e a tática de pagar por uma exclusiva simplesmente para não revelar a mesma é algo habitual no seu negócio.

A Casa Branca, enquanto isso, negou a veracidade de toda a história e assegura que Trump nunca teve uma relação com McDougal, segundo uma reação publicada pela “The New Yorker”.

O relato de McDougal se soma aos de outras mulheres com as quais supostamente Trump teve relações apesar de estar casado.

Nesta semana, um dos advogados do presidente reconheceu o pagamento de US$ 130 mil à atriz pornô Stormy Daniels, que supostamente teve uma relação sexual com Trump há uma década.

Segundo o “The Wall Street Journal”, o dinheiro buscava que a atriz não falasse publicamente disso, embora o advogado de Trump não tenha esclarecido os motivos.