Ex-ministros de Evo Morales são presos quando seguiam para o México

O ministro interino do Governo, Arturo Murillo, lamentou que "devido à falta de comunicação e coordenação, esse incidente ocorreu"

Um ex-ministro e um ex-vice-ministro do governo de Evo Morales foram presos neste sábado, quando se preparavam para viajar para o México, apesar de terem recebido esta semana um salvo-conduto do governo interino da Bolívia.

A polícia boliviana prendeu hoje, no Aeroporto Internacional El Alto, que também serve La Paz, o ex-ministro de Minas, César Navarro, e o ex-ministro de Desenvolvimento Rural e Terras, Pedro Damián Dorado.

Navarro e Dorado, que estavam acompanhados por uma comissão de diplomatas estrangeiros, foram levados para os escritórios da Força Especial de Combate ao Crime (FELCC), de acordo com relatos da imprensa local.

O Ministério de Relações Exteriores da Bolívia entregou o salvo-conduto ao dois na última quarta-feira, que haviam permanecido até agora na residência da Embaixada do México em La Paz, para que pudessem deixar o país.

O ministro interino do Governo (Interior), Arturo Murillo, lamentou em uma mensagem no Twitter que “devido à falta de comunicação e coordenação, esse incidente ocorreu”.

“O governo nacional cumprirá a fé do Estado dando salvo-conduto a dois ex-colaboradores de Evo Morales e garantirá sua saída do país para o México”, afirmou.

Morales anunciou no dia 10 de novembro de 2019 sua renúncia ao poder, denunciando um golpe de Estado para derrubá-lo, em meio a protestos por uma suposta fraude eleitoral a seu favor nas fracassadas eleições de 20 de outubro.