Ex-gerente de campanha de Trump é acusado de assédio sexual

Corey Lewandowski foi acusado por uma cantora de dar um tapa em suas nádegas sem seu consentimento em uma festa em novembro

(Reuters) – O ex-gerente de campanha do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, Corey Lewandowski foi acusado por uma cantora de dar um tapa em suas nádegas sem seu consentimento em uma festa em novembro.

Joy Villa, uma apoiadora de Trump que usou um vestido estampado com o slogan da campanha do presidente, “Make America Great Again”, na premiação do Grammy neste ano, disse na terça-feira que havia entrado em contato com a polícia em Washington no domingo para prestar acusações.

Villa disse ao site de notícias Politico e à rede de TV CNN nesta semana que Lewandowski a tocou contra sua vontade enquanto posavam para fotografias no Trump International Hotel.

Um representante de Villa não respondeu a um pedido de comentário.

Lewandowski não pôde ser contatado para comentários e a Reuters não conseguiu verificar as acusações de forma independente.

Perguntado sobre a acusação em uma entrevista nesta quarta-feira, Lewandowski disse à rede de TV Fox Business que a questão está sob investigação.

“Há um processo que irá seguir para determinar a inocência de uma pessoa”, disse.