Ex-dirigentes são condenados por lavagem de dinheiro

Galego, sócio majoritário do clube Independiente foi condenado a nove anos e oito meses de prisão, e Gómez, ex-presidente entre 1998 e 2000, a oito anos de prisão

Bogotá – O Tribunal Superior de Medellín revogou uma sentença de primeira instância e condenou Rodrigo Tamayo Galego e Mario de Jesús Valderrama, ex-dirigentes do Independiente Medellín, pelo crime de lavagem de dinheiro.

Galego, sócio majoritário do clube entre 1998 e 2006, foi condenado a nove anos e oito meses de prisão, e Gómez, ex-presidente entre 1998 e 2000, a oito anos de prisão, segundo informações entregues nesta quinta-feira pela Procuradoria Geral da Nação.

Na mesma decisão, o Tribunal confirmou as absolvições do também ex-presidente do clube Francisco Javier Velásquez González, da ex-diretora administrativa Claudia Patricia Toro Tamayo e da ex-contadora Soraya Patricia do Pino Castrillón.

De acordo com a Corporação Judicial, a Promotoria demonstrou que os condenados permitiram a lavagem de mais de 1,7 bilhão de pesos (R$ 1,87 milhão) enquanto estiveram à frente do Independiente.