Ex-dirigente sérvio da Bósnia pede novo julgamento

Radovan Karadzic acusou a procuradoria em demorar muito para divulgar documentos que lhe são favoráveis

Haia – O ex-dirigente sérvio da Bósnia Radovan Karadzic pediu nesta segunda-feira que seja julgado novamente, acusando a procuradoria em demorar muito para divulgar documentos que lhe são favoráveis, anunciou o Tribunal Penal Internacional

“O doutor Radovan Karadzic pede por meio deste que seja ordenado um novo julgamento”, indicou o acusado em um documento apresentado perante o tribunal.

“Começar o julgamento novamente e fazê-lo corretamente desta vez é a única solução para garantir que o julgamento do doutor Karadzic seja um julgamento justo”, acrescentou.

Segundo o acusado, a “ampla maioria” dos documentos “não foram revelados tão cedo quanto era possível” fazê-lo.

“O doutor Karadzic foi prejudicado porque tinha direito a conhecer a acusação desde o início, e não durante o andamento”, acrescentou.

Karadzic, de 67 anos, é acusado de genocídio, crimes contra a humanidade e crimes de guerra durante a guerra da Bósnia (1992-1995) e tem que responder, entre outras coisas, pelo massacre de Srebrenica de julho de 1995, o mais importante na Europa desde a Segunda Guerra Mundial.

Karadzic foi detido em julho de 2008 em Belgrado depois de permanecer foragido por 13 anos. Seu julgamento começou em outubro de 2009.