Eurogrupo pede à Grécia cortes de 325 mi de euros

O presidente do Eurogrupo afirmou que o Parlamento grego deverá aprovar já neste domingo o plano de reformas estipulado entre o governo e o 'troika'

Bruxelas.- O Eurogrupo, conjunto de ministros de Finanças da zona do euro, adiou nesta quinta-feira seu aval ao plano de resgate à Grécia por considerar que ainda faltam elementos para o acordo, e pediu a Atenas cortes de 325 milhões de euros em gastos públicos neste ano para garantir o cumprimento da meta de déficit.

‘Não dispomos ainda de todos os elementos necessários para tomar uma decisão hoje’, declarou o presidente do Eurogrupo, Jean-Claude Juncker, ao término da reunião.

Ele explicou que os parceiros europeus ‘reconhecem o esforço significativo dos cidadãos gregos’, mas ressaltou a necessidade de esforços adicionais para retomar o crescimento econômico.

O presidente do Eurogrupo afirmou que o Parlamento grego deverá aprovar já neste domingo o plano de reformas estipulado entre o governo e o grupo de entidades credoras conhecido como ‘troika’ – Banco Central Europeu (BCE), Fundo Monetário Internacional (FMI) e Comissão Europeia (órgão executivo da União Europeia) – como condição para liberar os empréstimos.

Em sua opinião, as forças políticas da coalizão de governo na Grécia deverão também mostrar vontade política firme para a aplicação do programa de reformas.

Juncker, que é primeiro-ministro de Luxemburgo, disse acreditar que Atenas anuncie até a próxima quarta-feira quais serão os cortes adicionais da despesa estrutural para esses 325 milhões de euros. ‘É uma condição imprescindível para que se possa continuar avançando’.