EUA registram 68.440 casos de coronavírus e encostam na Itália

China ainda é o país com o maior número de casos, mas seguida de perto por Itália e os Estados Unidos

O Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA informou nesta quinta-feira que foram registrados 68.440 casos de coronavírus, um aumento de 13.987 casos em relação à contagem anterior, e disse que o número de mortes aumentou em 257, para um total de 994.

O CDC atualizou sua contagem de casos da doença respiratória Covid-19, causada por um novo coronavírus, até a tarde de quarta-feira, em comparação com a contagem do dia anterior.

Casos de coronavírus foram relatados em todos os 50 Estados norte-americano e no Distrito de Columbia. A contagem total não inclui casos entre cidadãos repatriados de Wuhan, na China, e do Japão.

Os números do CDC não refletem necessariamente casos relatados por Estados individualmente.

Nova York: 100 mortes em 24 horas

Os hospitais de Nova York ficarão sobrecarregados em quase qualquer situação realista durante a pandemia de coronavírus, e as autoridades estão aumentando a capacidade em todos os locais possíveis para atender a demanda crescente, disse o governador Andrew Cuomo nesta quinta-feira.

A necessidade de leitos e ventiladores pulmonares é particularmente aguda, disse ele, uma vez que o Estado mais atingido pelo coronavírus nos Estados Unidos relatou mais 100 mortes e 6.448 casos entre quarta e quinta, elevando seu total de mortes para 385 e o número de casos para 37.258.

“E como ainda teremos uma quantidade grande de pessoas em ventiladores durante um período de tempo longo, os especialistas acreditam que o número (de mortos) continuará a aumentar”, disse Cuomo em uma coletiva de imprensa.

Só na cidade de Nova York surgiram 3.537 casos novos no último dia, elevando o total a 21.393.

O governador se tornou uma voz de destaque na nação durante a pandemia de coronavírus, já que o Estado responde por cerca de um terço do total nacional de óbitos e metade do número de casos conhecidos.

Cuomo disse que a meta é elevar a quantidade atual de 53 mil leitos disponíveis para 140 mil, e que as autoridades estão sondando novos locais para construir instalações temporárias.

“Nosso objetivo é ter mais de 1 mil instalações de sobrecarga em cada um dos distritos dos condados no sul do Estado”.

Além disso, o Estado autorizou “dividir” os ventiladores para que uma máquina possa atender a dois pacientes e está estudando converter máquinas de anestesia em ventiladores.

Dos 5.327 pacientes de coronavírus hospitalizados no Estado, cerca de 1.290 estão em unidades de tratamento intensivo e necessitados de ventiladores, disse Cuomo, acrescentando que dezenas de milhares de ventiladores podem ser necessários.

“O número de ventiladores de que precisamos é astronômico. Não é que eles estejam parados no depósito… não existe estoque disponível”.

Questionado sobre imagens publicadas nas redes sociais que mostram alguns funcionários de hospitais da cidade de Nova York recorrendo a sacos de lixo para se protegerem devido à falta de aventais, Cuomo disse que existem equipamentos de proteção suficientes em estoque para a “necessidade imediata”, mas não para o longo prazo.

Ele ainda criticou o pacote de 2 trilhões de dólares de combate ao coronavírus aprovado pelo Senado norte-americano na quarta-feira, dizendo que não fornece ajuda suficiente aos Estados.