EUA querem recuperar confiança de internauta após espionagem

Informação foi dada na abertura da conferência internacional NETMundial, em um fórum especial de autoridades com os cerca de 85 países

São Paulo – Os Estados Unidos defenderam nesta quarta-feira, durante a abertura da conferência internacional NETMundial, que acontece hoje e amanhã em São Paulo, recuperar a confiança ao usuário de internet, abalada pela divulgação de “revelações não autorizadas”, em alusão ao caso de espionagem levantado por Edward Snowden.

Foi assim que o assistente especial da presidência e coordenador de cibersegurança dos Estados Unidos, Michael Daniel, se posicionou, durante participação em um fórum especial de autoridades com os cerca de 85 países que participam da conferência.

“Acreditamos que temos que recuperar a confiança do usuário de internet prejudicado por revelações não autorizadas”, apontou Daniel, sem fazer referência direta à divulgação de documentos vazados pelo ex-analista da CIA Edward Snowden que provocaram um escândalo mundial sobre a espionagem na rede.

“Como manifestou em janeiro o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, estamos comprometidos com o enfoque multisetorial para a governança da internet e os países têm que deixar princípios para a inovação, o desenvolvimento econômico e a defesa dos direitos humanos”, destacou Daniel.

Nesse sentido, o chefe da delegação americano defendeu uma governança de internet baseada no trabalho das “múltiplas partes” interessadas no funcionamento da rede.

E assinalou que tanto sua divisão especial, como as secretarias de Estado e de Comércio dos EUA, consideram que a NETMundial “é um espaço catalisador para o desenvolvimento social e econômico do mundo”.

Durante o evento as delegações dos países buscarão convergir em diversos pontos para redefinir a regulação de internet e o rumo da rede.