EUA precisam provar que reuniram famílias com crianças menores 5 anos

O governo Trump precisa provar que cumpriu a ordem judicial de reunir as crianças separadas de seus pais durante a política de "tolerância zero"

O governo dos Estados Unidos precisa convencer um juiz nesta quinta-feira de que cumpriu uma ordem judicial e reuniu as crianças imigrantes com menos de 5 anos que foram separadas dos pais por autoridades imigratórias depois de cruzarem a fronteira dos EUA com México.

O governo tem até as 15h locais desta quinta-feira para explicar ao juiz Dana Sabraw, de San Diego, quantas crianças ainda precisam ser reunidas aos pais e informá-lo se cumpriu o prazo de terça-feira para fazê-lo com todos os menores de 5 anos de idade.

Na noite de quarta-feira, uma autoridade do governo disse que todas as crianças com menos de 5 anos que são candidatas à reunificação estariam com seus pais até a manhã desta quinta-feira.

O grupo União Americana pelas Liberdades Civis (ACLU), que processou o governo por causa de sua política de separações, questionou esta afirmação. “Sua declaração é no mínimo vaga”, disse o advogado Lee Gelernt. “Sabemos que eles perderam o prazo”.

Sabraw pediu à ACLU que proponha penalidades no caso de descobrir que o prazo não foi cumprido.

Em junho o juiz ordenou que o governo reunisse as crianças mais jovens separadas dos pais até a terça-feira e todas elas até 26 de julho.

Os dois lados voltarão ao tribunal na sexta-feira para delinear os passos para a reunificação das crianças restantes, que representam a maior parte das que foram separadas. No início desta semana Sabraw classificou o esforço como “um empreendimento significativo”.

Washington disse que trabalha em prol da segurança das crianças verificando a ficha criminal dos pais, examinando DNA para provar relacionamentos familiares e analisando a capacidade dos adultos para cuidar das crianças.

A ACLU disse que nenhuma destas medidas seria necessária se o governo nunca tivesse separado as famílias.

O governo adotou a política de separações familiares como parte de um esforço mais abrangente para desestimular a imigração ilegal no início deste ano. A gestão Trump cedeu diante da pressão política intensa e revogou a diretriz em junho.

Nem todas as famílias imigrantes que foram separadas na fronteira entraram no país ilegalmente.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s