EUA não têm provas de que Kadafi esteja ferido

Porta-voz do governo disse que leu a informação na imprensa e que não tem como confirmar

Washington – Os Estados Unidos não têm nenhuma prova concreta de que o ditador líbio, Muammar Kadafi, tenha sido ferido durante os bombardeios da Otan, disse nesta sexta-feira o porta-voz do departamento de Estado americano, Mark Toner.

A capital do país, Tripoli – tida como provável reduto do ditador -, tem sido alvo de constantes bombardeios por parte da Otan desde o final de março, em resposta à violenta repressão do governo às manifestações populares.

“Tenho visto matérias da imprensa declarando que ele foi ferido, mas ainda não vimos nada que permitisse confirmar essa afirmação”, disse.

O ministro italiano das Relações Exteriores, Franco Frattini, disse nesta sexta-feira que Kadafi “possivelmente está ferido e fugiu”, o que foi desmentido pelo regime líbio. Enquanto isso, os rebeldes continuam sua ofensiva diplomática para ganhar legitimidade.

Frattini, no entanto, afirmou que o governo italiano também “não possui nenhuma informação concreta sobre a situação atual de Kadafi”, mas afirmou que as pressões internacionais estão provocando “o desmoronamento do regime desde o interior do país”. “Há sinais de dissolução, uma brecha está aberta”, completou.