EUA investigam morte de vice-líder da Al Qaeda

Não está claro se Al-Libi foi atingido pelos mísseis disparados por um avião sem piloto dos Estados Unidos contra o norte do Paquistão que matou 15 pessoas

Washington – O segundo em comando na rede terrorista Al Qaeda, Abu Yahya al-Libi, foi alvo de um ataque com mísseis disparados por um avião sem piloto dos Estados Unidos contra o norte do Paquistão que matou 15 pessoas, revela a imprensa americana nesta segunda-feira.

“Seria um grande golpe” no coração da Al Qaeda obter “a eliminação do número dois” da rede terrorista muçulmana “em menos de um ano”, disse um alto funcionário americano ao jornal Washington Post.

Não está claro se Al-Libi, para o qual há uma recompensa de um milhão de dólares, foi atingido pelos mísseis, mas as autoridades americanas e paquistanesas estão investigando seriamente tal possibilidade.

Os oficiais americanos são prudentes em relação a Al-Libi, cuja morte já foi anunciada por engano em dezembro de 2009, após um ataque de drones contra o sul do Waziristão.

“Estão observando o local de perto para determinar se Al-Libi permanece vivo. Isto levará algum tempo até haver um alto nível de certeza sobre sua morte, trata-se do número 2 da Al-Qaeda e seria um grande golpe”, disse um oficial americano ao New York Times.

Segundo uma alta fonte dos serviços de segurança paquistaneses em Penshawar, “parece que (Al-Libi) foi mesmo assassinado”.

Al-Libi, cidadão líbio com cerca de 50 anos, se tornou o número 2 da rede terrorista após a morte, em agosto de 2011, de Atiyah abd al-Rahman, outro líbio morto por drones americanos, no norte do Waziristão.