EUA impõem novas sanções contra a Coreia do Norte

O presidente Barack Obama bloqueou todas as propriedades do governo norte coreano nos EUA e barrou as exportações e os investimentos para o país

Washington – O governo dos Estados Unidos liberou seu mais duro pacote de sanções contra a Coreia do Norte, mirando o governo do país asiático, bem como seu partido e qualquer indústria que esteja operando por lá.

Em uma ordem executiva assinada nesta quarta-feira, o presidente Barack Obama bloqueou todas as propriedades do governo norte coreano nos EUA e barrou as exportações e os investimentos para o país.

A Casa Branca ainda estabeleceu outros nove critérios para incluir entidades e indivíduos em sua lista negra. A ordem implementa as obrigações norte-americanas sob as sanções da Organização das Nações Unidas (ONU) e põe em vigor partes da lei de sanções, assinada em fevereiro.

As sanções vieram poucas horas após a condenação de 15 anos de trabalhos forçados sobre um estudante norte-americano por Pyongyang. Ele teria tentado roubar um pôster político de um hotel em janeiro, enquanto fazia uma visita turística.

“Sob os termos da ordem, o Departamento do Tesouro dos EUA pode impor sanções contra abusos de direitos humanos por parte dos norte-coreanos, censura, ameaças cibernéticas, alguns negócios, e contra a receita de trabalhadores estrangeiros”, disse o Tesouro em um comunicado.

Os EUA também podem impor sanções sobre setores da indústria da Coreia do Norte, e o Tesouro disse que usou a autoridade para determinar que pessoas que operam nos setores de transporte, mineração, energia e serviços financeiros também podem ser sujeitas às restrições.

Utilizando suas novas ferramentas, o Tesouro impôs sanções contra o departamento de propaganda e agitação da Coreia do Norte, por engajamento em censura; contra dois bancos por operarem na indústria de serviços financeiros do país; contra duas companhias por operarem no setor de mineração; e contra outras dez que operam na indústria de transporte.

O Tesouro também aplicou sanções contra duas autoridades norte-coreanas e identificaram vários navios como propriedade de uma companhia marítima sob sanções desde junho de 2014. Fonte: Dow Jones Newswires.